Arquivo da tag: intrínseca

Magnus Chase e a Espada do Verão

IMG_1302

  • Título: Magnus Chase e a Espada do Verão
  • Autor: Rick Riordan
  • Ano de lançamento: 2015
  • Número de páginas: 448
  • Editora: Intrínseca
  • Nota: Três estrelas
  • Sinopse: “Desde a misteriosa morte de sua mãe, ele tem vivido sozinho nas ruas de Boston, sobrevivendo por sua inteligência, mantendo-se um passo à frente da polícia e dos guardas preguiçosos. Um dia, ele é encontrado por um tio que ele nunca conheceu — um homem que sua mãe dizia ser perigoso. Seu tio lhe conta um segredo impossível:
    Magnus é filho de um Deus Nórdico. Os mitos vikings são reais.
    Os Deuses de Asgard estão se preparando para a guerra. Trolls, gigantes, e monstros piores estão agitados para o dia do juízo final. Para evitar Ragnarok, Magnus deve procurar pelos Nove Mundos uma arma que foi perdida há milhares de anos. Quando um ataque de gigantes do fogo obriga-o a escolher entre a sua própria segurança e as vidas de centenas de inocentes, Magnus toma uma decisão fatal:
    Às vezes, a única maneira de começar uma nova vida é morrer…

Olá! Finalmente estou postando resenha depois de tanto tempo. Li Magnus Chase para participar do Clube do Livro Intrínseca, na Livraria Cultura, e preciso dizer que tive ótimas discussões nesse grupo, pois cada um trouxe pontos diferentes da história que nem todos haviam percebido e opiniões diversas.

O que dizer sobre o livro? Se você já leu Rick Riordan, sabe qual a “receita de bolo” que ele usa para escrever suas histórias. Um garoto que um belo dia sofreu um ataque de criaturas divinas e descobre que é filho de um deus de uma certa mitologia – no caso, nórdica. Não há como esperar mais que isso, pois o Rick há muito tempo mostrou que assim que ele vai prosseguir com seus livros, e sabem de uma coisa? Isso vende bastante, principalmente entre os fãs da geração Percy Jackson.

IMG_1299

IMG_1301

O Magnus é um personagem bem comum, por vezes divertido, mas algumas coisas me incomodaram nele, como o fato de ele não agir de acordo com a idade que tem. Magnus já tem 16 anos no início do livro, mas ele age como alguém de 11 ou 12 anos, o que me irritou muito. Não era apenas no quesito de tomar atitudes sem pensar antes, mas até as piadas e o linguajar condizem com o de uma pessoa bem mais nova. Outro ponto negativo na narrativa é que, por muitas vezes, aconteciam coisas absurdas e que o autor não teve o cuidado de explicar como essas coisas ocorreram. Era do tipo “Estava desesperado lutando contra um monstro vinte vezes mais forte que eu. Mas, não sei como, consegui derrubá-lo com um golpe de espada.”

Minha personagem favorita, definitivamente, foi a Samirah. Ela é uma valquíria que se torna amiga do Magnus, e o ponto mais interessante da história dela, para mim, foi a religião. Sam é uma personagem árabe, que respeita muito seus costumes e ama sua família, mas não deixa de ser forte e presente durante toda a história. Quanto a mitologia, foi, de todas que o Rick já escreveu sobre, a que mais gostei. Não sabia absolutamente nada sobre ela, diferentemente da egípcia e da grega, e achei que ele a apresentou de forma clara e bastante didática.

IMG_1303

IMG_1296

Minhas conclusões sobre Magnus Chase: um livro bacana para passar seu tempo quando você não tiver nada a fazer. Mas é apenas isso, eu o li e não me marcou de forma alguma, nem se destacou em nenhum ponto. Apesar disso, não é um livro ruim.

Bom, é só isso por hoje. Até mais! /Jadeh

 

Anúncios