Arquivo da tag: rainbow rowell

Eleanor & Park, de Rainbow Rowell

DSC_0226

  • Título: Eleanor & Park
  • Autora: Rainbow Rowell
  • Número de páginas: 325
  • Editora: Novo Século
  • Ano de lançamento: 2013
  • Nota: 3 estrelas

Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Eleanor & Park é sem dúvida alguma o livro que mais me deixou com sentimentos conflitantes até hoje. Eu não posso afirmar com convicção que gostei da obra ou que odiei, mas garanto que foi um dos maiores marcos da minha jornada literária.

Rainbow Rowell nos apresenta dois personagens principais e a história se desenrola a partir do ponto de vista de ambos. Alternando o narrador a cada capítulo, descobrimos os pensamentos de cada um e exploramos o desenvolvimento deste primeiro amor que começa de maneira sutil.

DSC_0221
Enquanto Eleanor se mostra bastante tímida e retraída, Park é educado, atencioso e inteligente. Juntos eles tentam achar uma maneira de fazer o relacionamento dar certo apesar de suas realidades serem muito distintas e da falta de apoio por parte da família da jovem.

A história flui de maneira simples e não se torna uma leitura cansativa. No entanto, se você é fã de finais felizes, possivelmente Eleanor & Park não seja o livro para você. Os últimos capítulos têm muita informação e deixam a desejar com um final um tanto inconclusivo e a quebra da expectativa que tínhamos para o casal. Eleanor se torna bastante incoerente, o que me incomodou um pouco.

Hoje, meses após o final da leitura, ainda não sei dizer se gostei ou não do romance de Rowell e toda vez que tento reler acabo me sentindo inquieta e agoniada durante dias. Até eu decidir como realmente me sinto em relação a este livro, ele fica classificado como uma das minhas (muitas) desilusões literárias.

Por hoje é só, até mais! / Vick

Anúncios

25 Days of Christmas #6

Olá! Eu sei que esse post deveria ter saído antes de ontem, mas eu tive um problema com a internet que só se normalizou bem tarde da noite, então não pude escrever aqui no blog. Mas agora está tudo ok novamente, então não atrasarei mais posts. Enfim, hoje mostrarei os três livros de Natal que lerei esse mês para resenhar aqui. Dois eu já tenho, e um eu já tinha ouvido falar vários anos atrás, mas só recentemente foi traduzido para o Brasil pela Intrínseca.

1) Deixe a Neve Cair, de John Green, Maureen Johnson e Lauren Miracle: esse livro vai ser composto por três contos natalinos que se interligam. Iniciamos a história com Jubileu, uma garota que queria passar o Natal com o namorado, mas que precisa viajar para a casa de seus avós porque seus pais acabaram de ser presos. Durante a viagem, o trem para por causa da neve e Jubileu se vê tendo de aceitar a ajuda de um garoto estranho para conseguir avisar a seus avós o que aconteceu e chegar logo à casa deles, ao mesmo tempo que tenta a todo custo entrar em contato com o namorado. Não contarei mais nada, pois seria spoiler. Esse livro é muito leve e dá um quentinho no coração do leitor. Vou relê-lo próximo ao Natal e resenharei para vocês.

Deixe-a-Neve-Cair

2) O Presente que meu Grande Amor me Deu, organização de Stephanie Perkins: Stephanie Perkins é a autora de “Anna e o Beijo Francês”, talvez você já tenha ouvido falar. Ela resolveu reunir doze autores YA para fazer uma compilação de contos de Natal e Ano Novo. Ainda não li esse livro, mas há nomes muito famosos da atualidade na comunidade leitora, como Rainbow Rowell (Eleanor & Park) e David Levithan (Todo Dia). Estou animadíssima para lê-lo e resenhar aqui.

o presente do meu grande amor

3) Landline, da Rainbow Rowell: ainda não foi traduzido para o Brasil. Vai contar a história de Georgie, uma escritora de roteiros de séries de TV que se vê sozinha na véspera de Natal enquanto o marido e as filhas vão para Omaha. Motivo: Georgie precisa ficar em Los Angeles para escrever vários episódios de uma série original e mostrar a um grande empresário do ramo. Se ele aprovar, ela poderá ser roteirista de seu próprio programa! Ao mesmo tempo que está feliz por isso, o marido a deixou com uma pergunta na cabeça: será que eles estão bem ou ela estragou o casamento de vez? Essa pergunta consome Georgie até que o inesperado acontece. Ela consegue entrar em contato com seu esposo no passado, na época em que eles namoravam, através de conversas por telefone. Esses diálogos podem mudar seu relacionamento no presente. Será que Georgie deve executar essas mudanças? Ou nunca sequer deveria ter conhecido Neil?DSCF3885

É só isso por hoje. Até mais! /Jadeh

 

Fangirl, de Rainbow Rowell

DSCF3648

  • Título: Fangirl
  • Autora: Rainbow Rowell
  • Editora: Novo Século
  • Número de páginas: 421
  • Ano de lançamento: 2014
  • Nota: 5 estrelas

SinopseCath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme. Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer; e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real. Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto. Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?

DSCF3651DSCF3659

Ler Eleanor & Park fez com que eu adorasse a Rainbow Rowell; mas foi com Fangirl que me tornei uma fã entusiástica da autora. A premissa não é surpreendente, mas há algo de inovador, pois não é comum encontrarmos uma personagem que seja um retrato tão fiel da realidade de vários adolescentes hoje em dia (sou uma dessas!), que passam horas na internet procurando informações sobre os livros que gostam e participando de fandoms.

Pode-se imaginar que me identifiquei muito com a Cath, protagonista desta história, pois todas as sensações que ela descreve ao falar sobre Simon Snow é o que eu sinto sobre minhas sagas favoritas. A Cath é uma garota super tímida e justamente por isso os desafios e conquistas do livro se tornam bem mais impactantes a medida que são enfrentados e vencidos. Separar-se da irmã gêmea, dividir o quarto com uma garota festeira, fazer matérias novas e lidar com a distância com o pai – todos esses aspectos compuseram a sua jornada durante o primeiro ano da faculdade, além de alguns outros desafios que foram surgindo ao longo do caminho. Fica até difícil de falar sobre o mocinho da história. Levi é um personagem cativante, adorável e presente no desenvolvimento do livro, da primeira à última página. Um fato que acho que algumas pessoas não vão gostar é que a fanfic que Cath escreve é sobre uma série fictícia idêntica a Harry Potter, e em um momento da história eles citam essa outra saga. Incomodei-me um pouquinho na hora que a referência foi feita, mas para ser bem honesta, achei irrelevante. Gostei bastante das partes em que a Cath narrava histórias de Simon e Baz!

DSCF3657DSCF3654

Outro aspecto que fez com que eu amasse o livro foi o fato de a personagem principal ser uma escritora de fanfics. Eu comecei a participar do meu primeiro fandom aos 11 anos, quando li “Percy Jackson e o Ladrão de Raios”, e a partir daí fazer parte de comunidades de leitores se tornou uma boa parcela da minha vida. Já escrevi algumas durante pouco mais de um ano e durante a leitura, bateu aquela nostalgia de ler os comentários e desenvolver as cenas entre os personagens. Para Cath, escrever sobre Simon Snow é a coisa mais importante e mágica de sua vida, e ela tem uma meta: terminar sua história, Vá Em Frente, Simon, antes do lançamento do último livro da saga. A pressão que ela coloca em si é algo que nos faz refletir sobre prioridades e o peso desnecessário que às vezes impomos nas coisas.

Apesar de não ser o livro mais criativo e bem escrito que eu já li, o carinho que desenvolvi por todos os personagens e pela história fez com que eu desse 5 estrelas. É uma leitura bem leve e divertida, e quem participar de algum fandom com certeza vai se identificar. Rainbow Rowell, estou esperando ansiosamente para poder ler mais livros seus. Empolguei-me tanto que acabei fazendo uma trilha sonora baseada na história! Quem tiver interesse em ouvir, pode clicar aqui e conferir.

DSCF3660DSCF3667

Ah, tenho uma notícia ruim. A Vick infelizmente não vai mais, por problemas pessoas, participar da equipe do Estante de Sorrisos. Mas eu vou continuar postando normalmente e sempre trazendo conteúdos novos para vocês.

É só isso por hoje. Até mais!